O verdadeiro motivo de não perdoar alguém

O verdadeiro motivo de não perdoar alguém

Temos a sensação que perdoar é esquecer e deixar pra lá, mas não é só isso. Precisamos trabalhar o perdão para ele deixar de ser magnetizado.

Quando alguém faz algo para nós, por vários anos, que nos contraria, fazendo a gente sentir raiva, dor, medo ou algum outro sentimento negativo, temos dificuldade de perdoar, pois acreditamos que se não perdoarmos a pessoa irá sofrer.

E fazemos isso não para que a pessoa aprenda com seus erros. O motivo verdadeiro é que não a perdoamos porque intimamente, em nosso mais profunda campo energético inconsciente, queremos que ela sofra, então o nosso desejo de camada profunda é a vingança.

Pagamos o mal com o mal.

Percebe que é isso que fica em nós e não no outro? E esse desejo de vingança nos corrói a alma, pois o sofrimento vinga, brota, cresce, corrói, adoece magnetizando todas as doenças físicas e doenças da alma.

É preciso trabalhar o perdão e essa vibração um a um para reconhecer esse sentimento em nós, é a única maneira de desmagnetizar essa doença que fica orbitando no campo astral, gerando todas as dores e atraindo todas as situações iguais para nós para que sejamos lembrados, a todo momento, da importância de curarmos em nós e libertar nosso espírito dessa corrente que nos amarramos.

Para isso, a primeira atitude é aceitar a vida como é, aceitar o que o outro é e fez, assim como o outro também precisou e precisará aceitar o que somos e fazemos em algum momento. Enfim, nos aceitarmos mutuamente porque ninguém é santo e perfeito.

A não aceitação nos leva a uma vingança revelada, disfarçada, pela falta de perdão em nosso coração. Perdoar é um antídoto, é uma chance de abrir nosso fluxo de cura em nossa vida.

Geramos dor e sentimos dor e muitas vezes acreditamos que somos santos e que nunca fizemos mal a ninguém com nossos comportamento, palavras, atitudes e ações.

Isso é um baita orgulho mal usado, pois todos fizemos sofrer e sofremos e não perdoar é a tentativa de estar em um altar de santidade do qual não pertencemos, nenhum de nós!

Quando não perdoamos na verdade estamos nos vingando de nós mesmos, pois estamos tentando destruir não o mal que o outro nos causou, mas o mal que nós causamos aos outros em algum momento.

Olhe pra si, reconheça cada ponto de dor que causou e perceba que de santo não tem nada. Coloque-se no lugar do outro, se arrependa verdadeiramente, pois aí está o perdão genuíno.

Neste ato você perceberá que os outros fizeram com você aquilo que em algum momento você fez para o outro e muitas vezes nem se deu conta da dor que causou.

Fonte: Andresa Molina - Espaço Humanidade.