BLOG

Trabalhos científicos em Microfisioterapia

Trabalhos científicos em Microfisioterapia

O primeiro trabalho realizado foi em 1982, no departamento de gastroenterologia do Hospital Universitário de Bensançon (França).

Foi uma pesquisa considerada do tipo A, que utilizou o chamado duplo-cego, aonde 30 pacientes foram tratados com placebo e outros 30 com a Microfisioterapia.

Todos sofriam de colopatias (patologias intestinais que causam constipações, dores, diarreias e etc).

Dos pacientes que foram submetidos à Microfisioterapia, 76% tiveram as atividades do intestino reabilitadas. Isso só aconteceu com 34% do grupo que recebeu placebo.

Outro trabalho importante foi realizado em um centro especializado em crianças na França, que tiveram histórico de agressão sexual.

Nesse centro, as crianças eram atendidas por Fonoaudiólogos, Pediatras, Psiquiatras e Psicólogos.

As crianças foram avaliadas permanentemente com questionários e a equipe percebeu que tinham uma evolução de 2% de desenvolvimento ao ano.

Quando a Microfisioterapia foi introduzida no local, foram realizadas sessões em 250 crianças de 0 a 3 anos, posteriormente 3 a 8 anos, 8 a 12 e acima de 12.

Após um ano de pesquisa, com a introdução da Microfisioterapia, chegaram à resultados de 80% de evolução no desenvolvimento dessas crianças.

Também foi pesquisado sobre a atuação da Microfisioterapia em dores lombares (lombalgias).

Foram submetidas ao tratamento 300 pessoas com essa sintomatologia.

Após o trabalho da Microfisioterapia, os números revelaram benefícios importantes aos pacientes. Seguem alguns números percentuais:
Nível de evolução em dores lombares:
– 21 indivíduos apresentaram nível de melhora entre 1% e 25%;
– 37 indivíduos apresentaram nível de melhora entre 26% e 51%;
– 46 indivíduos apresentaram nível de melhora entre 51% e 76%;
– 105 indivíduos apresentaram nível de melhora entre 76% e 100%.

O restante dos pacientes não apresentaram resultados satisfatórios (apenas 12% dos participantes).

Além desses trabalhos, já foram feitos mais de 42 experimentações validadas pela ciência.

Boa parte dos trabalhos científicos publicados pode ser encontrado nesse link: www.microkinesitherapie.fr