Gestação e emoções do bebê

Gestação e emoções do bebê

A relação de troca é profunda entre mãe e filho. Desde o momento da concepção nasce uma forte ligação física e emocional, já que o bebê depende exclusivamente da sua mãe para se desenvolver.

Todos dizem que as futuras mamães devem evitar qualquer abalo emocional, mas a gravidez é repleta de situações e sentimentos novos, especialmente com a aproximação do momento do nascimento.

O medo do desconhecido é responsável por causar a maior parte das emoções negativas (tristeza, ansiedade, medo, insegurança, raiva) que naturalmente surgem neste período.

Como o bebê reage às emoções

Independentemente dos sentimentos da mãe, o bebê simplesmente registra a emoção como se fosse dele. As características de personalidade, de comportamento, de preferências e respostas do feto continuam depois do nascimento.

Ao reviver situações estressantes semelhantes às da vida fetal, inconscientemente buscará o mesmo padrão de comportamento que apresentava na vida intrauterina para aliviar as tensões.

A Microfisioterapia e Bioalinhamento são recursos terapêuticos de terapia manual que identificam no corpo as memórias celulares em sobrecarga e que futuramente podem causar sintomas e doenças na vida adulta.

O fisioterapeuta busca pontos específicos do corpo enrijecidos que estão ligados a traumas e sobrecargas.

Após os estímulos manuais, o organismo entra em processo natural e fisiológico de eliminação das memórias antigas, fazendo as células se recuperarem da melhor forma possível.